• Redação Obra Prima

As 10 casas mais incríveis do mundo em 2021

A revista Dezeen reuniu as 10 casas mais interessantes (e marcantes) que apareceram publicadas em 2021.


Moore House, EUA, Woods + Dangaran. Foto: Joe Fletcher


A mais influente publicação especializada em arquitetura e design de interiores do mundo, a Dezeen, reuniu as 10 casas mais interessantes que apareceram publicadas em 2021. Uma diversidade de projetos, que vão desde reformas abrangentes até construções de vilas no campo. De áreas densamente povoadas, em Tóquio, Japão, a uma casa isolada em Formentera, na Espanha, ou nas Highlanders,da Escócia.


Bat Trang House, Vietname, Vo Trong Nghia Architects

Esta casa revestida de tijolos foi projetada para refletir a herança da cerâmica da vila de Bat Trang. Os arquitetos Vo Trong Nghia deram ao edifício uma parede externa perfurada para arrefecer e ventilar os espaços interiores naturalmente, com pequenos jardins elevados espalhados por toda parte.

A casa ganhou o Prémio Dezeen de casa urbana 2021 e foi elogiada pelo seu "visual radical, elementos marcantes e uso original do material".


Vo Trong Nghia Architects



House Tokyo, Japão, Unemori Architects

A House Tokyo está localizada num pequeno terreno de apenas 26 m2 num bairro densamente povoado da capital japonesa. O atelier Unemori Architects utilizou um design de blocos empilhados para ajudar a aproveitar ao máximo o espaço limitado, com grandes janelas em diferentes orientações, o que significa que o interior se enche de luz ao longo do dia e tetos de até cinco metros. A casa atinge 50 m2 em dois andares, e é revestida com chapas de ferro ondulado.

Kai Nakamura



Moore House, EUA, Woods + Dangaran

Cada vez mais, os arquitetos têm falado sobre a importância de reaproveitar e atualizar os edifícios existentes, sempre que possível. A Moore House é um exemplo de como uma reabilitação pode ser feita com grande eficácia.

Esta casa retangular de um andar foi construída em 1965 numa colina em Los Angeles e foi reformada pelo estúdio local Woods + Dangaran, que instalou novos vidros nas paredes e restaurou a estrutura de madeira e as fachadas existentes.


Joe Fletcher



Villa Fifty-Fifty, Holanda, Studioninedots

Para além da sua estética industrial, o que é invulgar nesta casa em Eindhoven é a forma como equilibra os espaços interiores e exteriores. O Studioninedots organizou-a como um mosaico de pátios e pavilhões alternativos, com parte da sala de estar fora e outra parte dentro. Daí o nome Villa Fifty-Fifty.


Frans Parthesius



Es Pou, Formentera, Marià Castelló

Esta casa, projetada pelo estúdio de arquitetura Marià Castelló na ilha balear de Formentera, está dividida em três volumes retangulares brancos. Cada volume contém uma das funções do edifício: um alpendre coberto, um para cozinhar, comer e relaxar e outro para dormir.


Maríà Castelló



Residência IH, Indonésia, Andramatin

O enorme teto de betão desta casa na cidade indonésia de Bandung certamente chama a atenção. O estúdio de arquitetura Andramatin projetou a casa como uma reinterpretação das mansões coloniais holandesas do passado. O telhado foi projetado para proteger a parte principal da casa da chuva forte e da luz solar direta.

Mario Wibowo



Haus im Obstgarten, Áustria, Firm Architekten

A empresa austríaca Firm Architekten construiu esta casa-cubo com materiais provenientes de um raio de 50 km, incluindo madeira da floresta privada do próprio cliente. Encontra-se numa base de betão numa encosta nos Alpes, o que significa que tem uma vista panorâmica das montanhas.

Adolf Bereuter



Mazul Beachfront Villas, México, Revolution

Estas vilas, do estúdio de arquitetura Revolution, estão localizadas na costa de Oaxaca, de frente para o Oceano Pacífico. Foram construídas a partir de uma combinação de betão armado liso e tijolo bruto, projetados para imitar o ambiente de praia e serem resistentes às intempéries.


Mauricio Guerrero



Xerolithi, Grécia, Sinas Architects

Xerolithi baseia-se nos muros de contenção de pedra que são uma característica familiar no interior da Grécia, conhecidos como xerólitos. "De uma forma muito subtil, eles revelam a presença do homem em áreas que de outra forma parecem intocadas pela civilização", disse George Sinas, fundador do Sinas Architects.

A ideia era construir uma casa que se harmonizasse perfeitamente com a topografia inclinada, em contraste com as caixas brancas mais comumente construídas nas ilhas gregas.


Yiorgos Kordakis



Loch Tummel house, Escócia, WT Architecture

Esta casa ergue-se de um jardim murado em ruínas, supostamente abandonado e inacabado.



Dezeen's top 10 houses of 2021 (Dezeen)


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo