top of page
  • Redação Obra Prima

A Arquitetura e o Azeite

O Restaurante Oliq é o quarto edifício projetado pela Play Arquitetura que compõem o conjunto em torno do Lagar Oliq, complexo no alto da Mantiqueira, em São Bento do Sapucaí, MG, para atender as fazendas Santo Antônio e São José do Coimbra, que cultivam oliveiras e processam azeites extravirgens da marca e para outros pequenos produtores da região. Este conjunto é formado pelo Lagar de produção de azeite (2013 | 2014), pelo Anexo de serviços (2016 | 2017) e pelo Restaurante (2019 | 2021). Além das 3 edificações principais, o escritório também projetou um pequeno viveiro de plantas. Fotos: Leonardo Finotti. Texto: arquitetos.





Consideramos importante descrever a história projetual de cada uma das etapas, de forma a entendê-las separadamente e em conjunto. Sendo uma atividade nova para os proprietários, não houve um planejamento inicial que previa a construção das 3 etapas; apenas com a necessidade da segunda construção, o Anexo, que começou-se a esboçar o desejo de um futuro restaurante no local.



Em 2013 projetamos um pequeno galpão para a extração do azeite das azeitonas produzidas na fazenda Santo Antônio e por outros pequenos agricultores da região, produção que dependia até então do maquinário da EPAMIG, em Maria da Fé, MG.



Com caráter funcional e fazendo referência à outras edificações de serviços que já existiam na fazenda (curral e depósito de materiais), formadas por um telhado de duas águas, com tabeiras e calhas pintadas com cores fortes, exploramos neste projeto a grande extensão do telhado, resultante da distribuição linear do programa. Distinguimos sob ele uma caixa de madeira que isola algumas funções, como a área de extração, envase, escritório, depósito e banheiro.



Ainda sob o telhado mas ocupando as áreas abertas, localizamos numa extremidade a máquina de limpeza das azeitonas (função inicial do processo) e na outra uma grande mesa para degustação do azeite (função final do roteiro). Para o Lagar pintamos de verde escuro as tabeiras e as tesouras que compõem a estrutura de madeira do telhado.



Após alguns anos de atividades surgiu a necessidade de construção de um anexo para contemplar as funções de estoque do azeite engarrafado, escritório, cozinha para a produção de geleias artesanais, depósito de embalagens e banheiros para clientes.




Propusemos a construção de um volume mais hermético, com as mesmas medidas e proporções da caixa de madeira do Lagar, que ocupasse a área lateral e fundos do terreno, área esta que possibilitaria a ligação com uma nova estrada para o fluxo de serviços, a ser criada simultaneamente ao Anexo. Esta nova ‘caixa’, perfeitamente alinhada com a caixa de madeira, foi construída com estrutura de concreto e alvenaria, propiciando a criação de um terraço com vista panorâmica para o olival.


Aproveitando um desnível do terreno e pelas vantagens térmicas de uma construção semi-enterrada, propusemos um subsolo para o estoque do azeite. O anexo está ligado ao Lagar por uma pérgola de madeira coberta com vidro.





À esta altura, sua implantação já estava prevista para acontecer na extremidade frontal do Lagar, onde havia um grande terraço descoberto com vista para o vale e para o olival. Além das qualidades estéticas desta localização, em um dos lados a topografia favorecia a construção de um nível inferior, a ser ligado ao anexo e ao acesso de serviços. A arquitetura é composta por dois volumes principais separados por uma pérgola coberta que dá acesso ao restaurante e à loja, um volume inferior onde está localizada a sala de degustação, e um embasamento, semi-enterrado, onde localizamos os vestiários, depósitos, câmaras frias e cozinha de apoio.





Enquanto a parte de baixo foi revestida com pedras locais, os volumes superiores foram rebocados rusticamente e pintados com o mesmo verde escuro usado no Lagar. Além das áreas fechadas, propusemos na face norte uma varanda e um terraço descoberto com vista para o vale e para montanhas. Na face oeste, brises de madeira cobrem as janelas permitindo o controle da incidência do sol. Vale ressaltar o excelente trabalho de execução - tanto da parte civil (estrutura, alvenarias, instalações e acabamentos), como da marcenaria e serralheria - feito por profissionais da região.




No início das obras do restaurante nos foi solicitado o projeto de um pequeno viveiro de plantas. Propusemos um carrossel de ripas de madeira, que tivesse uma forma autônoma e leve, independente das demais.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page