• Redação Obra Prima

Vem aí a 17ª Bienal de Arquitetura de Veneza

Atualizado: 10 de mai. de 2021

A grande homenageada "in memorian" com o Leão de Ouro, desta edição, é a arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi.



Depois de adiada em 2020, a Biennale Architettura 2021 ocorre em edição presencial a partir de 22 de maio, seguindo até 21 de novembro, com 110 participantes de 46 países, sendo quatro estreantes: República do Azerbaijão, Granada, Iraque e Uzbequistão. A mostra será apresentada nos pavilhões Giardini, Arsenale e no centro histórico de Veneza.


Este ano, a grande homenageada “in memoriam”, com o Leão de Ouro Especial, será a arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi (1914-1992), a primeira mulher brasileira e a primeira no mundo pelo conjunto da obra a conquistar o cobiçado troféu. Desta forma, a idealizadora de obras ícones, como MASP, Sesc Pompéia, Teatro Oficina, Solar do Unhão e do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), se iguala aos arquitetos Oscar Niemeyer e Paulo Mendes da Rocha, agraciados em 1996 e 2016, respectivamente.


Segundo o curador do evento Hashim Sarkis, Lina é a arquiteta que faz mais jus ao tema deste ano, “How will we live together?” (“Como vamos viver juntos?”): “sua carreira como designer, editora, curadora e ativista nos lembra o papel do arquiteto como coordenador e, principalmente, como criador de visões coletivas. Lina Bo Bardi também é um exemplo da perseverança dos profissionais da arquitetura em tempos difíceis, como guerras, conflitos políticos e imigrações – em sua habilidade de manter uma visão criativa, generosa e otimista (…) Em suas mãos, a arquitetura se torna realmente uma forma de arte social capaz de promover o encontro.”





1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo