• Redação Obra Prima

Lucas Takaoka: muito além do DNA

O jovem arquiteto, urbanista e designer de móveis faz parte do seleto grupo dos novos talentos da arquitetura brasileira. Apesar do sobrenome de peso, vem fazendo história por si mesmo, exibindo um portfólio surpreendente.

Terraço Nohara/Lucas Takaoka. Foto: Alexandre Disaro


Se você reconheceu o sobrenome e acha que o jovem arquiteto é parente de um dos fundadores do elegante bairro de Alphaville, o querido e renomado engenheiro Yojiro Takaoka, acertou. Lucas Takaoka é seu neto.

No entanto, Lucas sempre fez questão de andar com os próprios pés. “Independente da minha influência familiar, amo muito o que faço. Eu sempre lutei como Lucas. Meu avô era engenheiro e eu sou arquiteto, um outro viés, logicamente atividades que se complementam na construção civil. Mas entendo que conseguir as coisas por si mesmo é muito mais prazeroso”.



Formado em 2015 em arquitetura e urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, o arquiteto sempre quis ser dono do próprio nariz, o que não impediu sua passagem por escritórios de grandes profissionais, como Graciela Piñero e Arthur Casas, onde permaneceu por 4 anos.

Já no final de 2016, aos 25 anos, deu a largada para conquistas solos na região do nordeste brasileiro. No início, via home-office. Sempre conectadíssimo no digital e reconhecedor da importância das redes sociais, vídeos, WhatsApp, entre outras plataformas da internet, na interface com profissionais parceiros, fornecedores e clientes. “Isso abriu portas em outros estados”, conta Lucas.


CASA MIRAI







O design é outra paixão. Desde os tempos de estudante, Lucas sempre se interessou por desenho do mobiliário brasileiro. Em 2018, um ano bastante incerto na política e economia, foi preciso diversificar. “Mergulhei no mercado de design, desenhando peças autorais, que muitas vezes surgiram da necessidade especial nos projetos de arquitetura”, explica o arquiteto, que atrelou-se a duas fábricas que desenvolvem suas criações e as comercializam nas principais capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Porto Alegre. “O design é uma frente muito rigorosa, com margem de erro muito pequena, público restrito e critérios de avaliação muito rígidos, então a peça tem que estar bem-acabada, condizente com o mercado e você deve saber onde colocá-la”. Hoje embasado, iniciará vendas em outras capitais do mercado internacional por meio da loja Espasso: Nova Iorque, Miami, Londres, entre outras estão na lista.


Mesa Naiá

Design criado com a designer Rosa Pinc, sua amiga dos tempos de Arthur Casas. “Eu desenvolvi um conjunto de xícaras inspiradas em uma vitória-régia e ela produziu as cerâmicas. Desenhei o formato e ela deixou impecável, justamente por ela fazer tudo a mão e com uma delicadeza que poucos tem”

Poltrona Tati



Mesa de jantar Abaporu



Mesa lateral Poru


O ano de 2019 foi promissor. Lucas abriu seu escritório físico e estreou na CASACOR SP como o arquiteto mais jovem da mostra, apresentando o ambiente “Terraço Nohara”, onde usou suas peças autorais para compor o lounge do espaço: um conjunto de poltrona, mesa e luminária, estilo minimalista contemporâneo, atendendo ao conceito sustentável da mostra, Planeta Casa. “Situado em meio ao paisagismo, o projeto de 20m² traz um layout aberto para resgatar a conexão natural e levar ao bem-estar que nutre, acalma e encanta”, acredita.


TERRAÇO NOHARA






Lucas entende que projetar é uma arte em conjunto. Atualmente, mantém um leque de atuações, que se estende desde design assinado até urbanismo, passando por projetos residenciais, comerciais e um pé no paisagismo. Neste último, obteve a segunda colocação em um concurso público de revitalização do centro urbanístico de Maringá. “Essa multiplicidade é fundamental para se trabalhar em escalas variadas que surgem na rotina de um profissional”, conclui.


APARTAMENTO AF











188 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo