• Redação Obra Prima

Hotel Nacional completa 50 anos e ganha exposição permanente de Oscar Niemeyer

Atualizado: 6 de fev.

Outros itens cedidos pelo instituto que leva o nome do grande arquiteto do Brasil se juntarão à coleção no Hotel Nacional do Rio de Janeiro.


Hotel Nacional: marco na cidade e símbolo da arquitetura brasileira.


"O Hotel Nacional é o mais novo cinquentão do Rio. Aquela idade em que a maturidade chegou, porém o vigor está em alta. O que podemos chamar de plenitude. Essa é uma analogia perfeita para descrever o momento especial que vive esse ícone Arquitetônico e Cultural da Cidade.

Projetado em 1968 por Oscar Niemeyer, e inaugurado em 1972, o Hotel Nacional completa nessa 1ª semana de Fevereiro, 50 Anos de sua abertura. Esse cinquentenário será comemorado ao longo desse ano com muitas novidades e realizações especiais que a agenda do Nacional promete.




Para abrir as comemorações, o Hotel inaugura um novo espaço: uma Galeria Expositiva, com a Mostra Permanente – OSCAR NIEMEYER . “A Vida é um Sopro” – uma breve e atrativa retrospectiva da vida e obra do Arquiteto mais expressivo e influente dos séculos 20 e 21.

Parabéns Hotel Nacional, pelo meio século de vida e por proporcionar esse lindo presente aos Cariocas e visitantes da Cidade Maravilhosa!"

Ale Ribeiro e Nat Weibel

Arquitetos Curadores


O Gran Meliá Nacional Rio, construído em 1972, tombado pelo patrimônio histórico e cultural da humanidade.


Um dos grandes marcos estruturais da cidade do Rio de Janeiro, o Hotel Nacional completou, na última quarta-feira (2), 50 ano. Projetado por Oscar Niemeyer, com os jardins do paisagista Roberto Burle Marx, o prédio de 34 andares e com 413 apartamentos tem como grande atrativo o belo visual da orla de São Conrado, na Zona Sul. Para celebrar a data especial, o Hotel Nacional inaugura, hoje, sexta-feira (4), uma exposição permanente com várias peças que vieram do Instituto Niemeyer.


Chaise Longue: um dos ícones desenhados por Niemeyer.


O Grupo WAM, atual administrador do Hotel Nacional, investiu cerca de R$ 600 mil na compra de dez itens. A exposição, que será permanente, ficará localizada no saguão e vai ser complementada com elementos da coleção cedidos por tempo indeterminado pelo instituto.


A novidade foi produzida pela empresa Kult Kast, com a curadoria dos arquitetos Alexandre Ribeiro e Ricardo Niemeyer, presidente do Instituto Niemeyer. Entre todo o material, destacam-se 20 planos expositórios de iconografia e textos, assim como dez totens originais. A ideia é traçar uma retrospectiva dos conceitos e dos principais projetos desenvolvidos por Niemeyer em toda a sua brilhante carreira.


Candelabro de papel machê de Pedro Corrêa de Araújo.


Após quase uma década e meia fechado, o Hotel Nacional voltou a ser protagonista no Rio de Janeiro em 2019, quando passou para a administração do Grupo WAM. Hoje, o empreendimento é um mix de luxo com toques de vanguarda e já se consolidou como a principal atração para moradores de São Conrado. Além de uma animada roda de samba à beira da piscina aos sábados, os frequentadores podem usufruir de serviços como spa, day use, Espaço Kids e o mais novo Centro de Convenções de 1.000m², cuja capacidade é de até 800 pessoas sentadas. No seu 30º andar, o recém-inaugurado Restaurante The View, que há muito tempo faz sucesso em São Paulo, já começou a cair no gosto dos cariocas.




Painel de Carybé.


O prédio, tombado em 1998 como patrimônio histórico e cultural da humanidade e símbolo da arquitetura brasileira, é rico em obras de artes, tais como o candelabro de papel machê de Pedro Corrêa de Araújo e o painel de Carybé, instalado no lobby e composto por 300 peças de concreto armado, que foram restauradas. O Nacional também tem entre seus ativos a famosa escultura “A Sereia”, de Alfredo Ceschiatti, que emoldura a piscina situada de frente para o mar que dá nome ao restaurante e ao pool bar.


Escultura "A Sereia”, de Alfredo Ceschiatti.


Fontes: Grupo WAM, Instituto Niemeyer

Fotos: Divulgação

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo