• Redação Obra Prima

Arquitetura brasileira é destaque na DNA Paris Design Awards 2022

Atualizado: 3 de ago.

Retrofit + Ampliação do Hotel Kempinski Laje de Pedra, do estúdio Perkins & Will de São Paulo, foram vencedores da categoria Arquitetura/Hospitalidade na conceituosa premiação francesa. "Situado em uma falésia em Canela com uma vista deslumbrante sobre a Reserva Ecológica Vale do Quilombo, foi projetado para ser o mais destacado resort de luxo do interior do Brasil. Um projeto que homenageia a natureza, a cultura e a história locais. A proposta proporciona uma experiência local aos hóspedes e visitantes, com espaços modernizados, que respeitam a identidade histórica do hotel, mantendo as linhas principais do projeto original. O resgate de um destino com profundo impacto urbano e cultural", descreve o site da premiação. Fotos: Divulgação.



Mais que uma simples reforma e restauração, o retrofit é uma técnica de revitalização de construções antigas, com o objetivo de transformar edificações do passado, adaptando-as às necessidades atuais.

A ideia do é fazer alterações para garantir o melhoramento das instalações, a atualização estética e a modernização da construção – mas, ao mesmo tempo, sem descaracterizar seus elementos originais históricos e arquitetônicos.


Dito isso, com mais de 250 apartamentos cravados nos canyons da serra gaúcha, por muitos anos o hotel Laje de Pedra, localizado em Canela, no Rio Grande do Sul, foi uma referência para a hotelaria de luxo brasileira. Inaugurado em 1978, o hotel sempre marcou presença entre os melhores do Brasil em diversas listas especializadas e era o destino certo da elite política, econômica e artística que visitava o Sul. Em 1992, por exemplo, o Laje de Pedra foi escolhido pelos cinco países do Mercosul para sediar a assinatura do tratado internacional. Nos últimos anos, no entanto, o negócio começou a patinar. Em maio de 2020, o que já estava ruim devido à economia e à concorrência ficou pior com a chegada da pandemia, o que resultou na desativação do local, colocado à venda pelo grupo proprietário, o Habitasul.




"Por ser de família gaúcha, conheço o Laje de Pedra desde a sua inauguração, e como todos que já estiveram por lá, tenho uma relação afetiva com aquele lugar. É um dos locais mais lindos em que já estive", conta José Paim, empresário gaúcho que junto dos sócios José Ernesto Marino e Márcio Carvalho comprou o Laje de Pedra e promete transformá-lo no melhor hotel do Brasil.


Não vai ser uma reforma simples. Nas mãos de Paim, o Laje de Pedra passa a se chamar Kempinski Laje de Pedra, referência à rede hoteleira de luxo alemã Kempinski, que confiou 540 milhões de reais no empreendimento, o primeiro da bandeira no Brasil.




Fundada na cidade de Berlim de 1897, a Kempinski é uma das redes hoteleiras mais antigas da Europa. Hoje, a marca está presente em 80 endereços de 37 países, incluindo Havana, onde foi o primeiro hotel de luxo de Cuba. "Somos uma rede pequena e temos que ser seletos com os nossos destinos. Escolhemos Laje de Pedra como novo hotel da Kempinski pela paixão investida nesse projeto de reconstrução", disse Bernold Schroeder, chefe de operações da Kempinski na Europa, em coletiva de imprensa sobre a estreia do grupo no Brasil.


O primeiro Kempinski brasileiro



O plano de reestruturação de meio bilhão de reais do Laje de Pedra inclui uma expressiva remodelação e ampliação arquitetônica assinada pelo escritório Perkins & Will. Tendo o luxo e o conforto como regras mandatórias, nesta reforma, tudo é superlativo: começando pelos quartos, serão construídos 357 apartamentos, que vão de 54 a 290 metros quadrados, área bem maior do que muito apartamento em São Paulo.



Com uma área total de 61 mil metros quadrados, entre as atrações estarão 4 restaurantes e 5 bares internacionais com amplos terraços e vistas únicas, enoteca, rooftop bar com lareira aberta, teatro e área para eventos.

Haverá ainda uma academia com 1 mil metros quadrados, spa de padrão europeu e um conjunto de piscinas: aquecidas e ao ar livre. "Não é fácil criar um produto de luxo. Nós não queríamos começar uma nova cadeia de hotel igual aos inúmeros que já existem. O diferencial da Kempinski é que a rede valoriza a imersão dos hóspedes na cultural das cidades em que está presente. Queremos apresentar a serra gaúcha como um destino internacional", afirma Paim.



Entre as atrações do novo Laje de Pedra, roteiros de turismo ecológico, cavalgadas, brunch ao ar livre e visitas a vinícolas estarão na programação. "O objetivo é trazer esse ícone arquitetônico de volta à vida c e posicioná-lo como um destino do mais alto nível", disse Schroeder.


Além da operação hoteleira, contará também com luxuosas residências privadas servidas por todos os serviços de um hotel cinco estrelas, incluindo mordomo, adega e garagem. Será possível, por exemplo, comprar uma propriedade compartilhada dentro do hotel e dividi-la com outros coproprietários, o que já acontece com outros bens de luxo como jatos executivos. A reforma do Laje Pedra deve começar até o fim do ano. A inauguração está marcada para 2024.






Fonte: Skys Scraper City e DNA Paris



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo